A Carregar...
noticia
28/07/2021

Jornal de Barcelos - «Fernando Pereira acredita que “a mudança começou”»

Por Zita Fonseca


Candidato à Assembleia Municipal pela coligação Barcelos Mais Futuro



Ausente desde 2013, Fernando Pereira regressou à política local como candidato à presidência da Assembleia Municipal pela coligação Barcelos Mais Futuro. Depois de um interregno na actividade partidária, durante o qual exerceu por quatro anos o cargo de sub-inspector-geral da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica (ASAE), aos 60 anos regressa à terra onde iniciou uma longa carreira política em que foi vereador e deputado na Assembleia da República.


Aos apoiantes que estiveram na sua apresentação, sexta-feira à noite, disse que voltava por achar que pode dar o seu contributo a um projecto político que “saltou a barreira” partidária e se tornou um “caso muito sério”. Defende que os partidos têm de se abrir à sociedade e acolher as novas ideias que vêm de fora. “O modelo que foi concebido e construído para o nosso concelho por esta coligação foi um modelo com essa tipologia. Não se ficou estritamente pelo partido ou pelo parceiro de coligação que já tinha [CDS], foi mais além e entrou em parceria com um movimento independente que está aqui representado pelo dr. Domingos Pereira”. Essa foi a “razão fundamental” que o levou a aceitar o convite que, reconhece, surgiu numa altura difícil e, também, inesperada. “A mudança começou!”, disse.


Carvalho Lopes, do CDS, partilhou do mesmo entusiasmo: “A coligação está cada vez mais forte e em crescendo e levar-nos-á à vitória em todo o concelho”.


O discurso de apresentação de Fernando Pereira foi também um tempo de evocar memórias. Antes, já Mário Constantino tinha recordado a época em que foram vereadores em simultâneo (e garante que, ao contrário do que se dizia, nunca foram inimigos, embora reconheça que havia competição), depois foi o próprio Fernando Pereira a recordar que naquele mandato em que coincidiram, houve um “trabalho profícuo” que o leva, passados estes anos, a acreditar na capacidade do candidato a presidente da Câmara: está “motivado” e “reúne as competências e o conhecimento para o exercício do cargo.


Domingos Pereira também foi destinatário de largos elogios pelo “rigor fantástico”, pela “capacidade de trabalho inexcedível” e pela “seriedade”.


“Isto aqui não é uma solução de três ou quatro amigos que se encontraram numa mesa de café e resolveram ser candidatos à Câmara. Não! Isto é uma solução séria, estruturada” e “corporizada em pessoas competentes”, disse Fernando Pereira. Quanto aos candidatas às freguesias, sublinhou a “assertividade e empenho” dos que vêm do BTF, a aposta naqueles que já são “figuras essenciais do PSD” e os que vão estrear-se nestas lides.


Sobre o órgão a cuja presidência se candidata é claro. “Não podemos permitir que haja uma menorização da Assembleia Municipal de Barcelos” que, sendo a maior do país, é a que tem uma representação mais alargada da população. Logo é “a mais democrática”. Domingos Pereira diz que é “o órgão mais importante de um Município”, porque “é agregador e abrangente”. A lista da coligação para a Assembleia Municipal “reúne todos os pergaminhos para dar a este órgão garantias de isenção e de separação de poderes”.


Mário Constantino diz contar com a “experiência e o bom-senso” de Fernando Pereira, porque “na política o bom-sendo é fundamental”. Dos membros da Assembleia Municipal eleitos pela coligação espera “solidariedade e lealdade”, o que é bem diferente de unanimismo. Reconhece que que este órgão pode ter um papel mais interventivo nas políticas municipais e deixou uma espécie de caderno de encargos a Fernando Pereira. Criar o Conselho Consultivo para o caminho de Santiago, o conselho Municipal de Juventude (velha reivindicação do PSD), uma Equipa de Missão para o rio Cávado e instituir o Provedor Municipal.


Fernando Pereira respondeu que “tomou boa nota”